Do IAPI para o mundo

Conhecida pela competência vocal, musicalidade e presença de palco, e considerada por muitos críticos a melhor cantora popular do Brasil enquanto em vida, Elis Regina completaria 76 anos nesse 17 de março de 2021. Morava com a família em um apartamento na chamada Vila do IAPI, no bairro Passo d'Areia, Zona Norte da cidade, projeto concebido pelo governo Vargas para acolher as famílias de operários, pois seu pai, Romeu, era chefe do almoxarifado da Companhia Sul-Brasileira de Vidros. Foi nesse ambiente de cidade de interior que ela cresceu e morou até os 18 anos. A edificação onde residiu Elis, na Rua Rio Pardo, número 21, é preservada desde 2011 por meio do Inventário do Patrimônio Cultural de Bens Imóveis de Porto Alegre.


Elis Regina se destacou, quando começou a se apresentar no Clube do Guri, em 1956, da extinta Rádio Farroupilha. Fez tanto sucesso lá, que, em dezembro de 1958, acabou sendo contratada profissionalmente pelo então proprietário da Rádio Gaúcha, Maurício Sirotsky Sobrinho. Cantava também em boates, além da atuação nas rádios. Em março de 1964, embarcou rumo ao Rio de Janeiro já sendo considerada a melhor cantora do Rio Grande do Sul, logo conquistando também o Brasil e se popularizando como "Pimentinha". Gravou 36 discos, e em todos eles há pelo menos uma música de algum compositor que nunca tinha sido gravado ou que tinha uma produção pouco conhecida. No terceiro e quarto discos, muitos compositores eram do Rio Grande Sul. Cantou muitos gêneros: da MPB, passando pela bossa nova, pelo samba, pelo rock e pelo jazz. Entre suas canções mais conhecidas estão “Madalena”, “Águas de Março”, “Como Nossos Pais” e “O Bêbado e a Equilibrista”. Elis Regina morreu precocemente aos 36 anos, em 1982 no auge da carreira, causando forte comoção no país e deixando uma vasta obra na música popular brasileira.



Como intérprete da música brasileira de grande renome, nascida em Porto Alegre, é homenageada em espaço nobre da Casa de Cultura Mário Quintana, em frente ao quarto do poeta, exposição que celebra o patrono da casa. A sala abriga materiais doados por colecionadores e algumas raridades, como o primeiro LP, “Viva a brotolândia” e pode ser visitada de terças a sextas-feiras das 9h às 18h. Sábados, domingos e feriados das 12h às 18h.



Uma estátua em homenagem à cantora foi inaugurada em 2009 na Usina do Gasômetro. A obra, confeccionada em bronze, reproduz a cantora gaúcha em tamanho natural, sobre uma base formada em círculo, em granito verde e preto, que lembram um LP.


"Amo a música, acredito na melhoria do planeta, confio em que nem tudo está perdido, creio na bondade do ser humano e intuo que a loucura é fundamental. Agora só me faltam carneiros e cabras pastando solenes no meu jardim. Viver é ótimo". Elis Regina.